2011-05-04

Ora bem “Cambada”… façam(os) as contas…

78 mil milhões…

  • cerca de 50% do PIB Português…
  • O PIB português não deverá crescer, deverá até diminuir, nos próximos 3 a 5 anos…
  • 5% de juro (poderão ser 4,5%, digamos para ser optimistas)…
  • 4,5% de 78 mil milhões serão… 3,5 mil milhões por ano…
  • Não calculemos juros de juros…
  • 3 anos… 10,5 mi milhões em juros, a pagar…
  • Logo: o PIB não cresce mas temos de pagar 10,5 mil milhões…. cerca de 6,5% do PIB nacional…

Em resumo: acabamos de contratar ficar objectivamente mais pobres 6,5% e, 3 anos, segundo PS e PSD, Sócrates e Catroga, somos grandes vencedores e há muitas coisas que NÃO estão no acordo… e, implicitamente, segundo os próprios, ninguém vai pagar a conta… A falta de credibilidade da classe política tem raízes diretas no seu comportamento em momentos críticos como este e na sua total falta de verdade, frontalidade e transparência…

Infelizmente, ontem, as lideranças dos dois maiores partidos continuaram a mostrar-nos mais do mesmo: pura e simplesmente o país não é a sua prioridade. Nem as pessoas que nele residem e/ou de que dele são cidadãs! Ficamos sem nada saber após Sócrates e Catroga se dirigirem ao país a não ser que o PS é o inequívoco vencedor (Sócrates) tal como o PSD é o inequívoco vencedor (Catroga)...

Por isso, apesar das duas conferências de imprensa para o país… não estão as cartas todas em cima da mesa! A grande diferença é que há 28 anos, quando Ernâni Lopes disse a Mário Soares "tenho de ir anunciar cortes de 20% nos salários à TV", o então Primeiro Ministro disse: "Não! Sou eu que vou! Sou o Primeiro Ministro e sou eu que dou a cara". Mota Pinto, o então lider do PSD e Vice-Primeiro Ministro apoiou. Hoje, Sócrates e Catroga (em nome do PSD) vieram dizer o que NÃO vai ocorrer e que eram vencedores, e informaram-nos que o partido adversário era ignorante! Não assumiram, não deram a cara, ambos pretenderam apenas ocultar a realidade... Mas não a poderão esconder até dia 5 de Junho, penso e espero... Só quando se souber o QUE ESTA NO ACORDO estarão as cartas todas em cima da mesa... Ontem tivemos uma das provas mais cabais da fraqueza extrema das nossas lideranças atuais...

Ora, atendendo a que o Estado deve mais de 93% do PIB, mas o endividamento externo não deve andar longe dos 300% (ninguém sabe exatamente qual a dimensão do endividamento dos bancos, que se endividam em nosso nome e porque nós pedimos empréstimos e créditos para tudo e para… nada), o problema do Estado é apenas uma das partes do problema, e não parece resultar de uma atitude essencialmente diferente da nossa atitude coletiva… O que parece grave é que as lideranças que temos, fraquinhas, podem bem estar em linha com o país que somos… Temos rapidamente de arrepiar caminho e, como dizia Ernâni Lopes, mudar de “atitude, valores e padrões de comportamento”, e seguir a única receita que nos dava “estudar, estudar, estudar, trabalhar, trabalhar, trabalhar, trabalhar” … ou, como dizia o “Esteves”: “Vamos lá Cambada…(…) deixem-se de tretas, força nas canetas, que o maior é Portugal….”

 

1 comentário:

Goizzzzzz disse...

Vou aproveitar-me dos cálculos e estender aos bolsos dos reformados...
De qualquer forma, na minha opinião a análise que é feita, fica completa com as referências à ajuda de 83 com o Prof. Êrnani Lopes. Contrasta assim, claramente, com a realidade em que vivemos neste país de governado por marretas!

Saudações!