2009-12-28

Recomendações e reflexões obrigatórias...

Alguns casos a exigir meditação, dois deles vindos do mundo do futebol:
- um caso de
democracia directa (a ser verdadeira a notícia...)
- e um outro de loucura:
mil milhões oferecidos por uma associação desportiva... de nome Real Madrid... Há realmente crise?
- Destruído património milenar para melhorar algumas estradas,
no Perú...

Reflexão merecem igualmente as
cinco entrevista que o Diário Económico apresenta sobre a década que acaba, e a que começa...:
-
Ilídio Pinho ("Sócrates preocupa-se com o popularismo")
-
Jacinto Nunes ("Daqui a dez anos, o TGV vai ser mais um elefante branco")
-
José Miguel Júdice ("O PSD como está não serve para nada"!)
- Mira Amaral ("A banca não pode dormir feliz, como antes da crise)

- Silva Lopes ("Os problemas já vinham da década de 90")
e também as declarações de Rui Machete (que não descarta candidatura à liderança do PSD...9

E, não menos, a entrevista de José Tolentino Mendonça ao i, de Imperdível...

Mas há outros aspectos que merecem atenção, por poderem ser "portas" que sirvam ao "saque" à coisa pública ou a processos menos claros... como as Fundações - em que as mais nobres e virtuosas (que também as há e com trabalho mais do que meritório pelo país e pelos Portugueses!) se arriscam a ser confundidas com outras criadas ad hoc para cobrir determinados processos e interesses... ou que pelo menos levantam suspeitas

E para acompanhar... a situação no Irão...

2009-12-24

Positivas (21) ou não tanto...

Red Bull air Race... o caminho emocional e o positivo: o de apresentar alternativas!

ACT 24.Dez: entretanto, continuaram a sair notícias... aqui, aqui e aqui. Mais uma estéril discórdia, de quem não é capaz de se focar no essencial, de fazer crítica construtiva (por definição: a crítica que propõe alternativas e não se limita a apontar defeitos...)

2009-12-21

PSD: uma clarificação fundamental!

A clarificação da situação interna do PSD é uma das vertentes mais importantes para o nosso futuro próximo - e mesmo mais distante, em função da sua posição central no nosso sistema político e em qualquer solução presente ou futura de governabilidade, bem assim como na orientação geral do país.

O PSD, juntamente com o PS, ergueram-se à condição de partidos de poder em Portugal e, parecem demonstrá-lo a aventura do PRD e os fracassos de alguns projectos que vão desde o MEP ao MMS, do MPT à aparente incapacidade de crescer para se tornar num verdadeiro partido de poder do BE.
PS e PSD em conjunto tiveram nos últimos 30 anos sempre mais de dois terços dos parlamentares e sempre lhes foi póssível, por isso, aprovar todos os documentos que entenderem, incluindo alterações à Constituição e as nomeações mais importantes, que passam pela AR. Em 2009 perderam alguns deputados, mas mantém-se acima dos 2/3 e qualquer um deles é maior do que todos os outros partidos juntos (mesmo tendo esses sido os vencedores, supostamente...).

Assim, o que se passa no PS e no PSD é decisivo para o futuro do país. As alternativas dos Portugueses passarão sempre, em termos de linhas decisivas e de decisões fundamentais e estratégicas, por estes dois partidos.
A configuração da sua relação de forças pode e tem variado,
bem como as suas orientações políticas têm sofrido cambiantes, muito em função das respectivas lideranças, mas esta realidade da sua força e poder conjuntos serem quase absolutos, não. Até os Presidentes civis tinham sido todos ex-líderes de um dos 2 partidos (Soares, Sampaio e Cavaco).

Numa fase tão crítica - não só económica, social e financeira mas, talvez sobretudo, em termos de crise de instituições e de CONFIANÇA - e em que decisões fundamentais precisam de um país focado nessas decisoes e não em casos judiciais e fait-divers dos mais variados - a clarificação da liderança e, sobretudo, da linha ideológica e das opções em questões importantes em que parece que PSD há muito não se entende internamente.

Nesse sentido, a incapacidade de alguém, para além de Pedro Passos Coelho (e incluindo nesta lista a própria Manuela Ferreira Leite) se assumir como candidato à liderança e dizer claramente o que pretende para o país e para o partido, mostra que qualquer que venha a ser solução, ela não será encabeçada por alguém de convicções, que não se tenha escondido quando deveria dar a cara...

Nesse sentido, um Congresso pré-escolha-de-liderança, que assegura uma forte presença e interesse (ao contrário dos Congressos pós-eleições-directas que ficam esvaziados de conteúdo, parcialmente), corre o risco de se tornar num debate de nomes, mas pode também ser uma oportunidade única para debater ideias, para debater o país, como pediu Marcelo. Nesse sentido, a palavra cabe aos militantes do PSD e aos delegados a eventual congresso debater e definir o futuro do PSD, mas também do país... e escolher entre dar um passo importante para a "decência" pedida por Miguel Veiga ou insistir na mera politiquice, indigna de quem pretende fazer da sua acção política um verdadeiro serviço à comunidade e ao país.

2009-12-18

Guimarães 2012... sejam criativos!

Regeneração Urbana e Indústrias Criativas são os principais eixos da Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012, apostando no desenvolvimento económico e social da cidade e da região e com aposta também na dimensão turística.

O peso do sector cultural e criativo em Portugal fica largamente demonstrado com os dados do estudo de Augusto Mateus para o Ministério da Cultura, agora publicados: 2,8% do PIB, 2,6% do emprego... Acima de sectores como o químico, o têxtil ou até de alimentação e bebidas! E neste caso, os mais de 70 milhões de euros relacionados com concertos têm um peso particular...

Dia Toyota...

Artigo de opinião com mensagem simples: uma só alternativa pode ser um caminho para a catastrofe...

E um teste de um novo híbrido em que Portugal é incluído...

2009-12-17

O Valor Económico da Crítica Construtiva

Há uns dias indicava-se aqui Noruega e os Países Baixos (a Holanda é uma das suas 11 regiões), como exemplos de países que escapam ao crescimento do desemprego e até, em parte, à crise mundial. No caso Norueguês as reservas de Pétróleo e de Gás explicam uma boa parte do assunto, mas no país das tulipas a causa profunda reside... nas PESSOAS e nas suas ATITUDES, VALORES e PADRÕS DE COMPORTAMENTO ...

Para o compreender melhor, diria ser obrigatório ler esta curta entrevista da qual destacaria: "Os holandeses têm uma atitude diferente em relação à crítica. Quando são criticados, não vão insultar o crítico, mas antes ler e pensar: porque é que este sujeito diz isto de nós? Não o vêem com maldade, antes como um contributo para tornar a imagem do cidadão ou do país mais nítida ou descobrirem outro ponto de vista que não conhecem. É uma marca de civilização"




E por falar em costumes, hábitos e resquícios de formas de organização social... ainda o tema do casamento entre homessexuais, o da violência doméstica (Portugal mas não só), o da cartelização (Itália), o do papel da mulher na sociedade (Islão), o de algumas novas tendências e formas de comunicação (Web), o dos insultos (Europa do sul...) e o do humor e direitos de marca (EUA).

2009-12-16

A intolerância em poucas palavras...

A ser verdade a notícia do i sobre o ditame do Papa Bento XVI sobre a proibição de casamentos entre católicos e não católicos, significa um regresso à intolerância que era apanágio da igreja Católica nos séculos XVI e XVII, explica o porquê de tantos abandonos da Igreja e da sua perda de influência no mundo - sobretudo Ocidental - e um arrepiante retrocesso no processo de diálogo ecuménico tão fortemente perseguido pelo Papa João Paulo II e pela Comunidade de Santo Egideo. Significaria, ainda, o cair da "máscara" do Cardeal Ratzinger e um perigoso contributo para o clima de tensão bélica entre Civilizações e entre Religiões.

A ser verdade, trata-se uma chocante e preocupante prova de intolerância

Serviço Público não é necessariamente "do Estado"

Exemplos como o lançamento do serviço "Estradas", iniciativa privada com informações sobre trânsito, obras, etc...

Outros bons exemplos, esses provenientes da esfera da Web 2.0 e promovidos pelo Estado, são "A minha rua"..

2009-12-14

Estaremos abaixo de 1974?!?

Salário mínimo pior que em 1974? Um interessante artigo... sobre a nossa evolução colectiva, como país, como sociedade, como economia, e sobre... teoria política aplicada...

PS: por falar em tostões, dois textos sobre milhões (Dubai e Emirados Unidos e SLN (BPN)), Uma entrevista discutível, mas rica em pontos que importa abordar frontalmente, e alguns bons exemplos (NL e NO)

2009-12-10

Positivas (20)

Se nos últimos posts eram mencionado bons exemplos das áreas do empreendedorismo, da ciência e tecnologia, da cultura e da criatividade, é na mesma linha que felicitamos o Museu de Portimão, pelo prémio Europeu recebido.
E não só por aqui passa o reconhecimento e a internacionalização do sector, como o demonstra o INOV-Art...
O país ainda mexe, apesar da aparente falência das instituições políticas e judiciais.

2009-12-02

SALVAR O PLANETA!

Uma grande campanha, a que foi lançada pela tcktcktck.org... em nome do sucesso da Conferência de Copenhaga por onde, de facto, passa parte do nosso futuro... e do do planeta!

Falta saber - não se encontra a informação em nenhum órgão de informação nacional, se os líderes da China e da Índia também estão "em cartaz"! Era muito importante...


Tratado de Lisboa

Entrou em vigor ontem, 1 de Dezembro de 2009, o chamado Tratado de Lisboa.
É, sobretudo, um Tratado focado na vertente interna da União como, infelizmente, tem sido mote da União desde a re-unificação da Alemanha e da saída de Jacques Délors da Presidência da Comissão.
Algumas alterações já foram abordadas neste blog, talvez esquecendo uma outra, importante, que é a entrada dos Parlamentos nacionais, pela primeira vez, nos Tratados da UE...

O mais importante é agora saber se, superadas as questões internas - resolvidas com mais inovações políticas, como é apanágio da história da construção Europeia, mas sem darem garantias de eficácia ou verdadeira capacidade operacional, pelo contrário... -, é tempo da União Europeia, das lideranças Europeias e dos cidadãos compreenderem o novo mundo em que vivemos e reagir.
Após a sáida da "crise", penosamente superada - ou nem isso - em muitos Estados Membros, a verdade é que a radical diferença de crescimento económico deriva de múltiplos factores, e resulta num re-equilíbrio de poderes em que a União Europeia deixará brevemente, por exemplo, de ser a maior potência económica mundial, e não domina nem é ente fundamental em áreas fulcrais, como o ambiente (EUA e China são hoje players bem mais poluidores e por isso mais determinantes em Copenhaga!), a área militar e da segurança (algo ridículo envolvimento no Afeganistão, para tantas mensagens de apoio a Obama), a área da informação (dominada por entidades do mundo anglo-saxónico, e com players fundamentais - na India, China, Japão e mundo muçulmano - em que a Europa não tem qualquer representatividade ou influência).

É essa questão - a do papel da Europa no mundo - que determinará a nossa qualidade de vida nas próximas décadas... E essa não tem sido seriamente abordada pelas lideranças europeias...

2009-12-01

Lusofonia? Ibero-americanismo?

Lula da Silva é, segundo Obama e quase todos os inquéritos internacionais, o mais popular líder político do mundo. O único capaz de ser o centro do Forum Económico Mundial em Davos e dias depois ser o centro do Fórum Social Mundial em Portalegre. O único capaz de se reunir com o Presidente do Irão e da Venezuela, com o Rei de Espanha e com Obama, e por todos ser recebido por todos com um sincero sorriso...

E Lula está entre nós, na Conferência Ibero-Americana. Porque Lula fala Português. E porque Portugal está entre os países que mais investe no Brasil. Ranking em que Espanha está em segundo, apenas atrás dos EUA. E por isso Lula tem dado especial atenção às relações com Espanha. E por isso ele está tão bem entre o Rei Juan Carlos, Cavaco Silva, Zapatero e Socrates...

Mas... Lula decidiu apoiar o Reino Unido para organizar o mundial de futebol de 2018, contra uma candidatura luso-espanhola!

Quais as razões por detrás de tal apoio? Não tanto me preocupa discutir as vantagens ou desvantagens deste evento para Portugal, a quase uma década de distância e quando apenas meia dúzia de jogos iriam ocorrer entre nós... mas quais as razões profundas para apoiar o Reino Unido, quando Portugal e Espanha vão em conjunto? Apenas o lugar no Conselho de Segurança da ONU? Ou será algo ainda mais forte? Custa a acreditar que seja apenas uma preferência por estilos de jogo de futebol...

A política externa Brasileira é algo a que devemos prestar cada vez mais atenção... O eixo Portugal-África-Brasil poderá ser, a médio prazo, a nossa porta de viabilidade... E o Brasil cresce, em recessão mundial profunda, a 5%... Andamos distraídos, de facto, com coisas menores...

Positivas (17)

A Viarco continua a surpreender-nos. Após a exposição realizada no Museu da Presidência, eis lançamentos de inovações mundiais, exportáveis! Boas práticas!
Noutra área,
a da saúde, há também que faça bem a todos nós, por nós, entre nós...

Haja iniciativa! Saiba como criar o seu négócio se tiver uma ideia!

E já agora: haja
humor :-)

Responsabilidade...

Juntar Marcelo, Menezes, Santana e Machete a uma só voz e com uma só mensagem, é possível? Parece que sim... parece que sim... O PSD é sempre uma caixa de surpresas, ou o que dele dizem é...

Mas a ideia de RESPONSABILIDADE não parece ser fácil de entrar no vocabulário e, sobretudo, na prática dos Portugueses... a começar pela dos seus líderes... a ver pelos
exemplos no que toca, desde logo, ao orçamento 2010...
Mas que também se verifica nos cidadãos ou no Ministério Público, que se dedicam a causas irrelevantes, sem propósito, perdendo tempo e gastando recursos desnecessários e que poderiam ser usados de modo mais criativo e produtivo, algo que é dever de cidadania (ver aqui alguns exemplos que seriam passíveis de riso... mas também de reflexão)...
Se calhar temos as lideranças que merecemos...

2009-11-30

Alerta amarelo... ou pior...

De ficar gelado... com as notícias vindas do Ártico...

... e do meio das areias pantanosas dos Emirados Árabes Unidos, em particular do Dubai... com dívidas que podem superar todas as previsões, e que nos devem servir de alerta, até porque crise está longe de estar totalmente superada!

... e na frente da luta contra o fundamentalismo e o terrorismo...

2009-11-29

Portugal em vias de extinção?

Portugal à beira da irrelevância e talvez do desaparecimento: é negro o diagnóstico de António Barreto... A leitura é obrigatória, obviamente...

Melo Antunes homenageado. Eanes, Soares e Sampaio presentes, mas Cavaco ausente, o que
gerou contestação e o Presidente foi mesmo desmentido face à sua ausência... O país não serena, toda a classe dirigente anda agitada, com querelas permanentes, e tal como a população e os media anda a discutir e a entreter-se com o que, com o devido respeito, são questões não essenciais nesta altura, estando por isso Portugal pouco focado no essencial: a dramática situação conjuntural, a falta de estratégia e de perspectivas a médio e longo prazo...

E isto no meio de uma crise sem precedentes desde 1974, e não apenas económica: com a Presidência da República, que deveria ser o garante das instituições, com piores índices de popularidade - e de credibilidade - desde 1976; com idêntica ou ainda maior gravidade a
desconfiança dos Portugueses face ao governo (nem direito a estado de graça teve!), e, em particular , do seu primeiro ministro (envolvido directa ou indirectamente em sucessivos casos que colocam em causa a sua seriedade - Universidade Independente, Freeport, TVI, Sucatas...), situação agravada pela letargia autofágica do PSD, incapaz de surgir como alternativa e, sobretudo, pelo descrédito do sistema de justiça que, com os últimos desenvolvimentos, surge agora aos olhos de boa parte dos Portugueses não só como demorada e ineficaz, mas também como pouco credível, incapaz de ser área de reserva e seriedade e vista até como impotente...

Em suma: instituições, sistema político-partidário, sistema judicial e sistema económico e financeiro em profunda crise (BPN, BPP,...), não são a marca do melhor período que o país possa atravessar... E há
avisos à navegação muito sérios para que devíamos olhar... E maus exemplos que não deveríamos ver copiados

2009-11-28

Tratado de Lisboa entra em vigor já no dia 1 de Dezembro...

O Tratado de Lisboa amplia a regra da maioria qualificada, diminuindo necessidade de consenso que, a 27, se tornaria crescentemente complexa e poderia paralisar UE.
Ambiente, segurança energética, alterações climáticas, estão entre áreas que passam a funcionar por maioria.
Política fiscal, segurança social, defesa e política externa mantêm a regra de unanimidade.


Também cresce poder do Parlamento, sobretudo pelo alargamento do processo de co-decisão (Conselho e Parlamento Europeu).

Presidências semestrais continuam a existir, mas apenas nos Conselhos de Ministros sectoriais, mas não no Conselho, passando a existir um Presidente (e uma estrutura permanente), que funciona como Secretário Geral do Conselho (órgão que é composto pelos 27 chefes de governo e de Estado... ). O primeiro Presidente será Belga, e abandona o cargo de primeiro-ministro daquele país, deixando-o numa delicada situação...

É criado em definitivo o Alto Representante para a Política Externa, espécie de Ministro dos Negócios Estrangeiros e, ao mesmo tempo, Vice Presidente da Comissão Europeia. Catherine Ashton, britânica, será a primeira pessoa a ocupar este cargo.

Veremos consequências, if any... Segundo muitos não é esta a questão, mas sim de LIDERANÇA e VONTADE POLÍTICA, em linha com a ACOMODAÇÃO por parte dos cidadãos Europeus...

2009-11-25

Positivas ... 16

Original iniciativa do 31 da Armada... doar uma estátua a Lisboa e homenagear Jaime Neves!

Não menos original e louvável a decisão do ISCTE: oferecer vagas nos seus Mestrados a desempregados licenciados com experiência

E mais um prémio para Portugal... desta vez na gestão de fundos! Do fundo de pensões!

2009-11-19

Que balanço?

Sentiu efeitos do Ano Europeu? Participou em actividades?

Leitura Obrigatória...

EDP torna-se na segunda maior empresa de energias renováveis... nos Estados Unidos! Através de um investimento de 4 mil milhões (a notícia noutros jornais fica-se pelos 2,7 mil milhões...)
O lado positivo:
- o alcance da política de internacionalização da EDP, no mercado mais competitivo do mundo... que não seria possível se a EDP fosse uma empresa pública...
- o significado desta aposta em termos ambientais, até por serem os Estados Unidos os "meninos feios" do "ocidente" nestas matérias (pelo menos aparentemente...).

Mas... : será que por cá não havia ainda espaço para mais investimentos? Num mercado "interno", em que 85% da energia consumida é importada, o mercado interno promete absorver qualquer aumento de produção "in Portugal"... Ou será que por razões burocráticas o investimento demoraria muito mais? Ou que as condições de rentabilização seriam menores? Ou será que é apenas o impacto mediático que tem um investimento nos EUA face a um equivalente em Portugal, e o que ele promete em termos de potencial futuro, nos EUA e na abordagem a outros mercados?
Era interessante compreender o porquê desta decisão de gestão estratégica da EDP...

2009-11-17

Desenvolvimento e Corrupção... um dos problemas do país...

Desenvolvimento não é crescimento, nem é mera criação de riqueza. É um conceito abrangente, em que se incluem as liberdades políticas e o acesso à justiça, o bem estar económico, a dimensão social, o acesso a serviços básicos como a alimentação, educação ou a saúde.

A comparação entre países pode fazer-se recorrendo a numerosos indicadores, o mais usado sendo o IDH (Indice de Desenvolvimento Humano), desenvolvido por Amartya Sen (Prémio Nobel) e Mahbub ul Haq e utilizado pela ONU e pelo PNUD. Além do PIB per capita, ele contempla factores como a taxa de mortalidade infantil e a esperança média de vida, as taxas de analfabetismo e de escolarização.

Os estudos sobre desenvolvimento mostram que numerosas variáveis explicam o sucesso ou insucesso de um país e a sua capacidade de gerar bem estar aos seus cidadãos, e que nenhuma variável só por si pode explicar o desenvolvimento, longe disso.

Mas mostram algo muito curioso: há UMA VARIÁVEL (e uma só...) que mostra uma CORRELAÇÃO NEGATIVA muito estreita com o DESENVOLVIMENTO, ou seja: quanto MAIS ALTA o valor desta VARÍÁVEL, MENOS DESENVOLVIMENTO. Qual é essa variável? CORRUPÇÃO!

Noutros termos: quanto MENOS CORRUPÇÃO, MAIS DESENVOLVIMENTO... ou MAIS CORRUPÇÃO, MENOS DESENVOLVIMENTO...

Partidos sob suspeita, Corrupção a descoberto são causa - mas também sintoma e efeito - de falta de CONFIANÇA, precisamente o cimento essencial a qualquer sociedade...

A luta contra o pântano em que os Portugueses sentem estar a Justiça e a luta contra a corrupção têm de ser prioridade.

Claro que há situações, na Europa, potencialmente piores do que a nossa... Mas isso não nos auxilia particularmente...

2009-11-15

2009-11-12

Isabel Alçada: andar à chuva sem se molhar?

Isabel Alçada conseguiu, após as reuniões com os sindicatos fazer algo que Pacheco Pereira tem vindo a tentar há anos: a quadratura do círculo... Disse no final desta sua primeira AVENTURA como Ministra que "a avaliação dos professores é para manter [por agora]" mas teve todos os sindicatos a dizerem que tinham sido reuniões muito positivas e produtivas, com avanços consideráveis, quando à entrada exigiam, no mínimo, a suspensão do processo... ...

2009-11-09

Um marco MUITO importante...



Há quem diga que a "mancha" na nunca tinha a forma da nova Europa... Certo é que foi este homem, Gorbatchov - por certo não sozinho -, com a sua Perestroika e a sua Glastnost que abriu o mundo a numa nova fase, com menos fronteiras...

Ainda que seja também verdade que, 20 anos passados, é um mundo ainda com mais incerteza e com não menos conflitos, esta é uma data que marca, simbolicamente o fim da guerra fria e, para muitos, o fim do século XX que se iniciara, segundo esta leitura, em 1914. Seria o século que marcaria o fim do Euromundo...

Mas, ao mesmo tempo, e culminando um processo de exactamente 200 anos (nesta leitura da história o século XIX inicia-se em 1789 com a Revolução Francesa), um processo que deixa uma Europa de Estados bastante menos poderosos no mundo, mas com cidadãos Europeus e sociedades mais livres, baseadas nos Direitos do Homem e na interdependência entre esses mesmos Estados que assim, finalmente, conseguiram a Paz intra-europeia... E, numa daquelas ironias da História, iniciando um século XXI que perpetua o "legado Europeu no Mundo" através do desejo, da maior parte dos seres humanos do planeta, de sistemas políticos e sociais mais próximos dos modelos nascidos e desenvolvidos... na Europa...

Uma precisão histórica: o "final da separação" da Europa em "Capitalista" e "Comunista" não se deu com a queda do Muro, nem sequer se iniciou nesse dia, sobre o qual passam hoje 20 anos, mas sim com a abertura da fronteira Austro-Húngara, uns meses antes, e por onde passaram milhares de cidadãos do "leste" para o "ocidente".

2009-11-06

O desinteresse pela política... A credibilidade do Estado...

Quem viu o debate do Programa de Governo compreende, quase de imediato, porque há um crescente desinteresse pela Política...
E isso torna ainda mais urgente o regresso - mesmo que em versão semanal - do Esmiuçar... (petição).

Vale e Azevedo, Casa Pia, Freeport, Operação Furação, casos BCP, BPP e BPN, Apito Dourado, Face Oculta... Alguns dos casos em que a Justiça se passa nos meios de comunicação social, mas ora não se traduz, sequer, em acusações, noutros casos em sentenças, noutros em cumprimento das sentenças.
Não só o sistema de justiça se mostra ineficaz como a razão principal para todo o bloqueio da Justiça atempada (a única que é Justiça), o garantismo para protecção da presunção de inocência, acaba também por ser minada ao permitir o "julgamento mediático" que gera "penas" não menos pesadas aos que se vêm envolvidos nestes casos...
Neste cenário a credibilidade da nossa Justiça e, portanto, do poder do Estado, está minada. É este um dos principais problemas do país... E o mais perigoso para o seu futuro...

2009-10-30

PSD e Marcelo... Capítulo: n+2

No PSD, e como previsto, a ala anti-liberal ou, mais precisamente, anti-Pedro Passos Coelho, compreende que se se desunir, e num sistema de eleição a uma só volta, com o vencedor a ser escolhido por maioria simples, pode arriscar-se a que PPC chegue à liderança do PSD...
E compreendeu mais do que isso: que Paulo Rangel, Morais Sarmento, Aguiar Branco não são nomes com força suficiente para que se anulem uns aos outros... ou seja, não garantem que haja uma só candidatura "contra" PPC, e muito menos é garantia de impedir uma eventual chegada de PPC à liderança, dado o trabalho desenvolvido por este.
Assim, esta ala, que na realidade é em si o resultado de uma convergência de diversas sensibilidades dentro do PSD-PPD, chegou à conclusão que a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa pode não garantir a derrota de PPC, mas pelo menos é a que dá mais garantias de isso poder acontecer. Várias razões há para isso, desde a notoriedade do Professor à sua exímia gestão táctica (para alguns até excessiva), à sua capacidade oratória e ao seu prestígio como académico, jurista e como homem tremendamente culto.
Há ainda um certo "ajuste" com a história, pois esses "apoiantes" sabem que não permitiram que MRS chegasse a votos, em 1999...
MRS, porém, quer mais... Como escrito neste blog há uns dias, quer ter o maior grau de convicção possível de que Cavaco irá mesmo re-candidatar-se. E quer... que pelo menos Aguiar Branco e Morais Sarmento venham a terreiro fazer o que ontem Paulo Rangel, Alexandre Relvas e José Luís Arnaut fizeram: manifestar o seu apoio. Mesmo dirigentes que noutras condições poderiam apoiar PPC, como Menezes, reconhecem MRS como um ´potencial líder
Já o escrevemos há mais de uma semana: Marcelo tem três condições prévias... E se a primeira é sobre Cavaco e a Presidência, a segunda é sobre o grau de "certeza" numa vitória interna. E para isso não lhe basta que os demais não se candidatem contra ele, mas sim que declarem o seu apoio, chamando assim "as suas hostes"... E dando aparentes garantias que não lhe será "tirado o tapete" antes das próximas legisltativas.. a terceira condição de Marcelo...
E, por fim, Marcelo precisará ainda de estar certo de mais um apoio antes de avançar: Alberto João Jardim! Como também foi aqui dito, a Madeira tem quase 25% dos militantes do PSD, e é o bloco que votará mais "em uníssino", se houver apoio declarado de Alberto João a um candidato... E AJJ, consciente do seu poder, tem andado estranhamente silencioso... Quer ver alguma clarificação e depois - se considerar que eventuais candidatos têm iguais hipóteses de chegar a Primeiro Ministro - não deixará de negociar com os candidatos os maiores benefícios para a Madeira e para si próprio, após a saída do governo Regional, que segundo o próprio será no fim deste mandato...

Justiça?

A Justiça promete continuar a ser centro de atenções e a minar o futuro do país, em duas vertentes cruciais:
- Credibilidade do Estado
- Desenvolvimento Económico

Sem confiança na Justiça os cidadãos não acreditam no Estado. Uma Justiça demasiado tardia não é Justiça, é Injustiça. E gera-se um sistema em que a direitos não correspondem deveres, e em que esse mesmo Estado não tem autoridade moral para exigir cumprimento de responsabilidades.

A ausência de confiança no sistema judicial leva a alteração das decisões económicas, gera afectação de recursos a actividades improdutivas - como a cobrança de créditos - e prejudica seriamente a economia ao minar qualquer gestão de tesouraria ou qualquer planeamento capaz. E não pode o Estado exigir cumprimento de obrigações quando ele mesmo tem pagamentos a mais de um ano... Ou quando não devolve IVA que cobra à cabeça...
Pagamentos atempados e a liquidação do IVA após a sua cobrança e não após a sua facturação, bem como a celeridade e eficácia da justiça económica eram os três maiores contributos que o Estado podia dar à economia, hoje.

E as dúvidas, que há muito se instalaram, quanto à credibilidade e à isenção das empresas públicas ou que se ligam ao Estado de modo especial - por serem ex-empresas públicas, por haver golden share ou por serem empresas debaixo de regulação directa do Estado -, torna o caso ainda mais grave. O caso agora revelado, não sendo surpreendente, poderá levar-nos por dois caminhos:

- ou se apuram responsabilidades rapidamente, e se punem culpados, mesmo que isso abale todo o sistema político (lembre-se que a este se soma o caso BPN, onde estão também envolvidos nomes como os de Dias Loureiro, um dos mais influentes líderes políticos do país), restabelecendo alguma confiança dos cidadãos no sistema, mesmo que abale seriamente o nosso sistema partidário...

- ou o processo se arrasta ou se enreda em complicações processuais e erros formais e, no final, condenará levemente alguns nomes menos conhecidos, e acabará por libertar os "nomes maiores" e não esclarecerá o quanto é abrangente o sistema de troca de favores, e de ligação entre o mundo dos negócios e o do poder político (leia-se sobretudo sistema partidário) ... Minando ainda mais a confiança dos cidadãos no sistema, convencidos que há grupos e grupinhos que se protegem mutuamente...

Claro está que não chegamos ainda ao nível de ligações entre poder económico, polítio e criminalidade violenta existente nos casos italiano ou russo... em que além de Berlusconi ser ele mesmo acusado e de deter e controlar os canais privados de Televisão onde, ao contrário de homens como Balsemão, interfere e assume que interfere a nível de conteúdos, usando-os para publicidade pessoal e recrutamentos variados... têm ainda as Mafias, que de assassinatos assumidos sem pudor a chantagens ao próprio Estado e extorsões a privados e políticos, passando por negócios perigosos, como os de armamento ou lixos tóxicos...
E isto no país em que se deu a Operação Mãos Limpas, onde mais de 2000 líderes políticos foram afastados na década de 90, muitos acusados de ligações mafiosas, tal como o "todo-poderoso" líder da DCI, Andreotti que condenado apesar de ser um dos 5 Senadores da República (foi primeiro ministro 7 vezes durante 40 anos...)...

2009-10-29

Drogas podem ajudar a ... sair da crise!

Leitura obrigatória... aqui (nem o BE faria melhor...)

Estado da Nação...

O PR voltou ao apoio e cooperação estratégica (num discurso proferido antes de saber que José Junqueira ia a Secretário de Estado...)
O
PS re-arruma-se... enquanto se desenha a dança de cadeiras, que teve um novo episódio público com a definição dos Secretários de Estado de 37 pastas (a 38ª, a da Estado da Presidência do Conselho de Ministros já tinha sido tratada) ... Enquanto vai pensando nos cenários face a propostas dos "activos" CDS e BE (incluindo casamentos gay e alterações aos apoios sociais), e os assessores, novos e velhos, vão desenhando o Programa de Governo...
O PSD está em reflexão
interna... e vai fazendo "oposição séria e responsável".
CDS e BE estão muito activos, querendo o protagonismo na AR, com iniciativas que obriguem PS a decidir-se, e marquem agenda, empurrando PSD e PS (no caso do CDS-PP) e PS e CDU (no caso do BE) para posições defensivas e de re-acção.
Descidas de impostos, casamentos gay, avaliação de professores e outros temas "quentes"
CDU segue seu rumo normal. PCP pretende ter papel visível na aprovação de apoios sociais para capitalizar politicamente. Os Verdes também lançam
importantes temas.

São por isso precisos uns casos para animar o fluxo noticioso :-) "Felizmente" surgiram as buscas de hoje, envolvendo
Armando Vara como arguido (num caso que promete arrastar-se por alguns anos...e que no fim absolverá a maior parte daqueles que vierem a ser levados a tribunal?)... Haja esperança para media... Falta saber se haverá para o país...

2009-10-26

Drogas livres?

 Este o tema sobre o qual diversos especialistas pensam e... discordam - quais os efeitos da descriminalização?

Uma nova fase de... Continuidade

O i brinda-nos com artigos interessantes com uma abordagem inovadora ao novo governo: uma infografia e um artigo sobre... contradições!
Hoje tomam posse os Ministros, no Sábado os
Secretários de Estado.

Energias renováveis e internacionalização são as prioridades que continuam e, nesta, e mais uma vez, Espanha.
A este propósito cabe destacar também o
1º Congresso do Noroeste Peninsular. Centrado nas questões das fusões, aquisições e parcerias entre empresas da Galiza e do Norte de Portugal para abordagens a mercados externos (Africa, America de Sul, sobretudo). Alberto Nunez Feijo - Presidente do Governo Regional da Galiza, Carlos Lage - presidente da CCDR-N, António Nogueira Leite, Daniel Bessa, Mira Amaral, Ângelo Correia, e diversos empresários, espanhois e portugueses fazem parte do leque de oradores).
No site do Congresso podem obter-se todas as informações, e há inscrições também aqui.

Parece séria a questão sobre os mecanismos que permitem desorçamentação de despesas e obras públicas, através de PPP (Parcerias Público-Privadas) e do uso das empresas públicas como a Refer ou a Estradas de Portugal, que podem minar sustentabilidade do Estado no futuro: "As agências de 'rating', que influenciam de forma decisiva o custo do crédito para Portugal, conhecem estes valores e já reviram em baixa a classificação do país como devedor." .

Estranhamente parece que uma das questões mais importantes e prioritárias será... o casamento gay, que promete dividir algumas bancadas...

PSD... capítulo... (perdemos a contagem :-)

No PSD, as movimentações continuam.

Como o Moscardo já escreveu por diversas vezes, o debate interno do PSD é importante para o país. E como também já dissemos, Marcelo condiciona todos os demais potenciais candidatos. Marcelo tem hoje o peso e a influência que tinha Vitorino, há uns anos, sobre as "directas" no PS - condicionar todos os demais potenciais candidatos das alas maioritárias dos respectivos partidos -... E é curioso como ambos estão na RTP, ora em conjunto, ora separadamente com o seu programa de comentário político...

2009-10-23

Governo novo...

Governo já conhecido... sem grandes surpresas... nas principais pastas...

Governo novo... e não só...

Governo já conhecido, toma posse segunda-feira... sem grandes surpresas nas principais pastas... Apesar das reacções (aqui, aqui, aqui, aqui)...
Entradas - várias caras novas (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui, na educação - talvez a mais importante e arriscada das novidades), sobretudo mulheres -, e saídas, como é normal...

Entretanto, só haverá directas no PSD após o Debate Orçamental, anunciou MFL, no que foi apoiada pelo Partido, de um modo geral: significa isso abster-se/votar a favor ou gerar crise institucional (e eventuais novas eleições)?

Assunto mais sério: GF Esmiúça os Sufrágios termina... hoje, com 3 jornalistas como convidados! Dada gravidade da situação, é URGENTE a assinatura da petição a favor da continuidade, regresso rápido ou outra fórmula que permita assegurar este serviço público bem disposto!

2009-10-22

Unidade de lista era requisito de Marcelo?

Se não era... Era algo parecido...
Como aqui escrevemos, Marcelo tinha 3 condições para ser candidato à liderança do PSD:
- saber que CS é re-candidato
- saber que ganha as directas
- ter convicção que irá a votos em 2011, 2012 ou 2013

Uma delas, a segunda, era ter a certeza de vitória. Ora: Ser unico candidato seria o melhor modo de assegurar vitória!

Pedir para ser candidato único, sob pretexto de unidade interna é “contornar realidade”: MRS sabe que teria pelo menos um opositor. Um candidato declarado, que correu o risco do desgaste, mas ganhou a credibilidade dada pela frontalidade... Pedro Passos Coelho.

E Marcelo sabe, e já sabia bem que...
1- PPC teve mais de 31% nas ultimas directas
2- PPC fez grande trabalho, online (
www.construirideias.pt mas não só) e em pessoa – esteve em todo as delegações partidárias.... É por isso natural que tenha ganho grande parte dos 29% que votaram Santana, e alguns dos 37% de MFL.. alem dos 2 a 3% que votaram noutros candidatos. E que consiga manter a maior parte dos seus 31%.
3- Ou seja: num sistema eleitoral tipo winner takes all a uma só volta... só uma total união da frente anti-Liberal (leia-se anti-PPC) pode ganhar-lhe! E terá ainda assim de conquistar o voto de militantes que em 2008 não votaram...
4- Marcelo é fortíssimo como candidato, mas tem também muitos anti-corpos, irrita muita gente, e mesmo o próprio aparelho... Ainda assim, ele sabe que poderia receber os votos do aparelho (veja-se Menezes... a dizer que era bom candidato) e dos militantes, porque todos sabem que em termos eleitorais é alguém que pode ganhar debates a Sócrates ou a qualquer outro futuro líder do PS e tem uma notoriedade ímpar (algo que PPC não tem).
5- Rangel e Morais Sarmento – e provavelmente outros – deram a entender que nunca iriam a votos para defrontar Marcelo, mas não o garantiram. Aguiar Branco ainda menos... nem sequer Manuela Ferreira Leite o disse... Marcelo precisa da CERTEZA - que não deve ter obtido – de que não só não se candidatam contra ele como necessita, para ter convicção numa vitória, que demonstrem empenho na sua eleição... e isso não obteve!
6- Mesmo que ganhando a PPC, MRS sabe que o futuro líder terá oposição da “ala liberal”. Ora Marcelo quando foi líder andou sempre a exigir 2/3... Porque entende que para fazer oposição é preciso tranquilidade interna “união de propósitos, união de estratégia”. Mas mais do que isso, é em face da 3ª condição de Marcelo que este ponto é importante: MRS queria “certezas” de que se manteria como líder até às próximas legislativas...
7- Ou seja: a condição TER CERTEZA DE VENCER... não se reúne, no momento... e muito menos a de que chegaria a eleições!
8- MRS retira-se? Por ora... aparentemente
9- Voltar à corrida? Sim, em vários cenários... Exemplo: se houver “vaga de fundo” - que inclua Rangel, Morais Sarmento, e outros potenciais candidatos, que assim abdiquem e mostrem empenho em “derrotar” PPC -, ele poderá avançar... tal como fará se PPC fizer algo de tão errado que demonstre incapacidade ou que comprometa sua imagem de líder com potencial para primeiro-ministro, que conseguiu criar em boa parte do PSD...
10- O mais provável? MRS recuar mesmo e Paulo Rangel candidatar-se. Porquê? Já aqui deixamos um post sobre o potencial mediático e político de Rangel -
. Anula uma importante vantagem de PPC: uma nova geração. Mas tem sobre este uma vantagem: tem trabalho político, e não apenas partidário, com sucesso e qualidade, e GANHOU eleições... E ainda se sobrepõe ideologicamente a PPC, pois mesmo os mais liberais membros do PSD não se importarão de o ter como líder...
11- Fica depois a dúvida: e será que candidatos potenciais que recuariam se Marcelo avançasse, farão o mesmo se candidato for Paulo Rangel? Duvido... Mas até poderá ser (tudo depende das negociações a decorrer...).
12- Se algum outro, sobretudo Morais Sarmento, avançar, PPC deverá vencer...
13- Se Rangel for o único opositor relevante a PPC... o resultado é imprevisível... PPC tem mais de 30 anos de fidelidade ao Partido, Rangel tem 8 anos de PSD, é um “cristão-novo” e no aparelho isso pesa... mas também pesa o facto de ter apoio de diversas linhas do partido, e de ter ganho eleições...
14- Quem é fundamental? Acredito que será Alberto João Jardim! Os líderes de distritais do Porto, e outros, conseguem canalizar alguns votos, mas não têm o poder dos tempos dos congressos, em que representavam todo um número de votos... Agora apenas alguns militantes Mas AJJ tem um poder enorme: mais de 10.000 votantes! E todos disponíveis para votar com AJJ...


Conclusões
1. Marcelo ainda não se retirou. E dele depende a possibilidade de quem quer que seja avançar contra PPC. Ao fazer as declarações de ontem, ONTEM, antes de HOJe (Conselho Nacional), e sabendo que Rangel virá a Lisboa à reunião, MRS pode mesmo estar a dar sinal a Rangel para avançar... Será?
2. Se a corrida for Rangel contra PPC, teremos curiosamente o partido a apresentar uma síntese interessante, pois ambos são ideologicamente próximos, com PPC a assumir-se mais como potencial “liberal”, enquanto Rangel representa uma visão mais ampla do “arco” das ideias políticas que estão integradas no PSD
3. Qualquer uma destas potenciais lideranças dará muito mais “dores de cabeça” a Sócrates do que MFL (e isso é bom para o país)... Mas nenhum deles está no Parlamento (e isso é mau para eles, para o PSD e para o país).

MRS sabe e tem consciência de todas estas variáveis e é um Mestre na Ponderação das mesmas. A sua ponderação e hesitação só mostra a força e a implantação da candidatura de PPC... E que provavelmente não consideraria a sua vitória como um dado adquirido...

Cartoon e Humor...



http://www.peticao.com.pt/esmiuca-os-sufragios

(continua online a peteção pela continuidade do Gato Fedorento Esmiuça os Sufrágios lançada pelo Moscardo, por considerar que se trata que faz um verdadeiro serviço público ao incentivar a educação política e cívica dos portugueses... com humor e inteligência!)
E não esquecer... do Aniversário de ASTERIX, OBELIX & C.ª

2009-10-20

continuem a esmiuçar...

...
PETIÇAO PELA CONTINUIDADE DO GATO FEDORENTO ESMIUÇA OS SUFRAGIOS - programa de serviço público que incentiva a educação política (e cívica) dos portugueses... com humor e inteligência!:
(clique no link abaixo, demora apenas alguns segundos)
...



PS: uma petição que até Cavaco Silva assinaria.

PS2: e a Ordem dos Arquitectos também faz serviço público

Presidência e Governo

Apesar de ter, como era de algum modo esperado, um desempenho considerado negativo por um volume inédito de portugueses, Cavaco Silva continua à frente da corrida presidencial, tal como também era de esperar...

Isto enquanto os nomes do novo Governo , que não deverá ter uma moção de confiança, devem ser do conhecimento público muito em breve...

2009-10-19

Política Fiscal

Discussão importante é sobre tributação de mais valias no mercado de capitais... Qual a posição dos partidos, que a poderão ter de votar? Parece que estão ausentes em parte incerta :-)

Ligue para: 139-131-28-7-1-1

O Moscardo deu uma falsa notícia: afinal nem o PSD obteve 140 presidências de municípios nem o PS 131... Foram 139 contra 132, após as eleições em Ermelo darem a Câmara Municipal de Mondim de Basto ao PS. A menos que PS e CDU se aliassem e invertessem acordo tácito que vigora desde 1976, o PSD mantém a Presidência da Associação Nacional de Municípios Portugueses, cujo site se recomenda vivamente.

Mantêm-se as 28 da CDU, 7 independentes, 1 do CDS e 1 do BE.

Ainda quanto a autárquicas: a curiosidade sobre os plenários de cidadãos, os "caucuses" portugueses... em mais de uma centena de freguesias com menos de 150 habitantes!

Ainda Marcelo...

Continua a novela Marcelo ataca ou não a liderança do PSD, anunciada aqui ainda antes das eleições, e confirmada em directo na RTP pelo próprio, como foi de imediato "traduzido" neste blog.

Acredito, porém, que MRS será candidato SE e SÓ SE:
1. Cavaco for candidato a um segundo mandato como PR (caso contrário Marcelo pode realizar o seu maior objectivo, que acredito seja ser PR). Por isso prefere que MFL fique até Maio de 2010, dando tempo para se compreender se Cavaco se re-candidata ou não;
2. Tiver grande convicção de que vencerá as directas no PSD - o que implica ter a certeza de muitos apoios e outras tantas ausências, sobretudo de Rio, Rangel e Morais Sarmento;
3. Tiver a convicção de que será líder do PSD até eleições legislativas, pois em 1999 Portas "tirou-lhe o tapete", e não chegou às legislativas contra o seu amigo Guterres, após ter vencido dois referendos e as autárquicas...

É óbvio que Paulo Rangel e Morais Sarmento (e não só), esperam pela posição de Marcelo, mas não significa que não avancem. Todos sabem que boa parte dos líderes o foram depois de ter perdido eleições... e Rangel sabe que tem o tempo a seu favor, como
aqui escrito há já algum tempo... Mas também sabem que Marcelo tem uma notoriedade ímpar...

Certo é que esta novela e incerteza prejudica o país, dado
papel chave do PSD para assegurar a governabilidade.

2009-10-18

governabilidade

Uma análise interessante... e realista:
- O Governo não pode cair, se entrar em funções, até finais de Abril ou inícios de Maio... (6 meses desde "passar" primeiro teste na A.R.
- O Governo não pode "cair" a partir de Julho ou Agosto 2010 (6 últimos meses de mandato PR) - CDS dificilmente apresentará alguma moção de censura sem ter certeza de ir a eleições coligado com o PSD
- PSD não pode fazer cair governo sem perspectivas de ganhar eleições, e sem ter líder
- Se BE ou CDU apresentarem moção de censura em algum momento, basta CDS votar contra, ou PSD abster-se.
Logo: até 2011 o mais provável é mesmo o Governo não cair..

Em 2011 temos presidenciais... Um Presidente dificilmente demite governo mal tome posse... Entretanto é natural que retoma nos "atinja"... E aí PSD sabe que só coligado com CDS teria hipóteses de ganhar eleições... Mas saber como está PSD daqui a dois anos... não é fácil :-)

Ou seja: pelo menos até final de 2011, o Governo minoritário do PS tem mesmo muitas hipóteses de sobreviver. Mais vale passarmos à fase em que todos os partidos e a própria sociedade, se vá habituando e adapte os seus comportamentos...

PS: e um livro que se recomenda...

2009-10-14

Governabilidade: o papel central do PSD

A posição do PSD é a chave da Governabilidade.
Concordo (e aliás até já coloquei dois posts sobre o assunto) que MFL e Pacheco Pereira estão a disparatar ainda mais ao defenderem uma oposição sistemática...
Mas a verdade MATEMÁTICA é que o PS e a Governabilidade, precisa:
1. do VOTO a favor do CDS-PP.
2. do VOTO a FAVOR de pelo menos um de BE ou CDU e Abstenção do OUTRO
3. Da ABSTENÇÃO do PSD... (sim, basta que se abstenha pois PS é maior do que todos os outros juntos, tal como aliás o "derrotado" PSD...)
Por ser necessária a sua mera ABSTENÇAO e ser, não por acaso, o partido mais próximo do PS (se considerarmos o PS de Sócrates então, são partidos ideologicamente sobrepostos - como também já explicado neste blog - o que, aliás, justifica em parte o desnorte do PSD, pois a sua ala social-democrata está sem espaço no quadro político actual... e a sua ala mais liberalizante está a pedir para definitivamente assumir o PSD como Partido Liberal, mais PPD, menos PSD...), a solução mais simples, matemática e politicamente, é por aqui.

Acresce ainda que se PSD mandar um Governo abaixo (votando ou propondo uma moção de censura, ou nem permitindo o Programa de Governo), será fortemente penalizado nas eleições subsequentes... E o partido sabe disso, e por muito que MFL e PP, cujas carreiras não dependem disso (porque estão a acabar...), o partido não deixará que o façam... Um partido como o PSD, um partido do arco do poder, não deixará uma líder "moribunda" e "a prazo curto", abrir as portas de uma hpotética maioria absoluta do PS novamente! Ela sabe-o. Por isso as declarações de MFL são bluff interno.

Ou seja: a verdadeira solução de Governabilidade (orçamento, moções de censura, etc.) passa pela Abstenção do PSD, mais do que qualquer outra coisa! A solução em termos de outras medidas será "caso-a-caso" mas, mais uma vez, com um PSD colaborante, como defende Marcelo, e não só, o país pode avançar sem sobressaltos até 2011, algo que nunca será possível com CDS-PP, BE e CDU...

A a outra solução de Governabilidade que se poderia defender estável é o CDS-PP. Ou seja: PP, Paulo Portas... MAS:
1. Portas já tirou o tapete a Marcelo...
2. Portas está tão bem com 21 deputados é duvidoso que queira eleições em breve... MAS é sempre imprevisível...
3. Portas sabe que pode entrar no governo pela mão do PSD, e se sentir num dado momento que PSD pode ganhar umas eleições.... não hesitará em mandar Governo do PS abaixo... não o apoiando (ao CDS basta não votar a favor e Governo caí, se PSD não o "segurar")... Sobretudo se for em 2011 ou mais à frente...
4. Para Portas, a questão chave é.... pois... a força do PSD e da sua liderança... Ou seja: da situação interna do PSD depende se Portas e o CDS-PP tem ou não interesse em deixar cair o Governo...

Por isso defendo que a chave do que se passará nos próximos 16 meses (período até termos novo Presidente) passa mais pelo debate interno do PSD do que por qualquer outra coisa...
E acredito, ainda, que pode ser esta uma oportunidade de clarificação do sistema político português - ainda que não acredite que venha a ser aproveitada, pois muitos membros do PSD sabem que uma transformação em partido liberal de direita pode quase perpetuar o PS no poder, pois ficar-lhe-ia nas mãos todo o "centro" político...

PS: Um
ponto de situação do jornal i... O Moscardo acredita que as coisas, porém, estão mais decididas do que aqui se diz (não haverá qualquer coligação e a maioria, senão a totalidade, dos Ministros está já escolhida e convidada informalmente...). Veremos.

[Actualização 23h30: como se previa, o PP será oposição MAS não está disponível para votar moções que causem queda do governo pois para Paulo Portas só há duas soluções melhores que um grupo parlamentar de 21 deputados... ou o CDS-PP no Governo ou o cumprimento de uma vida: a fusão dos partidos... para que ele mesmo, Paulo Portas, possa ser líder do PSD um dia...]